20 Abril 2024

Estrangeiros em Portugal Encorajados a Aprender a Falar Português

Ondas de preocupação e ansiedade percorrem a comunidade de expatriados e imigrantes em Portugal, seguindo o surgimento de rumores sobre uma política obrigatória de língua e cultura portuguesas para estrangeiros.

Acredita-se que seja uma das primeiras políticas a surgir do novo governo de coligação, entende-se que todos os migrantes serão encorajados a aprender a falar português e a compreender a cultura nacional a um ritmo muito mais rápido do que tem sido anteriormente aceitável.

Uma iniciativa-chave que já causou desconforto entre os estrangeiros é a ideia de que todas as conversas que ocorram aos domingos devem ser em português e que apenas comida portuguesa será consumida em todo o país, assim como nas duas regiões autónomas da Madeira e dos Açores.

À medida que a notícia da ideia se espalhou pelo X, anteriormente Twitter, agora por vezes conhecido como ‘TwiX’, na última semana, acredita-se que uma delegação de embaixadores estrangeiros preocupados estivesse a procurar uma audiência com o Presidente, ‘Marcelo’, e o novo Primeiro-Ministro, Luís Montenegro, para questionar a injustiça e a natureza súbita da ideia.

“Reclamei imediatamente na minha embaixada,” disse John Smith, um fã do Manchester United que preferiu que a sua nacionalidade original permanecesse confidencial, especialmente à luz do antecipado e obrigatório esquema de ‘apoiar um clube de futebol português’. “Não posso passar de recusar falar português todo o tempo para ter que falar esta língua muito difícil durante um dia inteiro, todas as semanas, mesmo na minha própria casa!

“Além disso, se for forçado a comer bacalhau em vez de roast beef e beber café em vez de chá, bem como conduzir mais próximo de outros utentes da estrada aos domingos, talvez tenha que pensar em mudar-me para Espanha ou França, onde gritar em inglês sempre me ajudou.”

O arquiteto das novas e radicais propostas, Nuno Wei, um assessor governamental de herança portuguesa e chinesa mista, respondeu dizendo: “É hora de os estrangeiros fazerem um pouco mais de esforço e morderem o anzol, ou ‘morder o bacalhau’, como preferimos dizer no nosso think-tank cultural e criativo e co-working, hub para nómadas digitais – Luso Takes it All.

“A nossa equipa trabalhou arduamente nisto e foi paga com muito dinheiro da UE, o que vem com certas expectativas. Sentimos que a iniciativa ‘DominGO Português’ de apenas língua nativa aos domingos será difícil no início, mas trará grandes benefícios para todos os envolvidos a longo prazo, particularmente com os cursos de formação em grelha de sardinha e apreciação de Fado que também estão em planeamento.”

“Se for bem-sucedido, podemos esperar por mais dias da semana serem inteiramente portugueses,” acrescentou ele, “com os recém-chegados aprendendo como comer e ficar acordados mais tarde à noite. Embora ser católico permanecerá uma área cinzenta, em linha com as normas e expectativas nacionais.

À medida que as vendas de livros e cursos de língua portuguesa por todo o país parecem estar a disparar (ou se estiver a ler isto ao domingo: “através do telhado”), entende-se que até mesmo os insiders do CHEGA! ficaram surpreendidos com a ideia e a chamaram de “extrema”.